Viernes, 10 Diciembre 2010 15:04

A ciência climática está sendo escutada Destacado

Escrito por 
COP16: Filas para pegar uma cópia do texto do Protocolo de Kyoto Photo Mark Malijan Este é um artigo da jornalista convidada Andréa Zenóbio Gunneng, editora-chefe do website Conexão Verde, especializado em mudanças climáticas e comunicação O texto final do Protocolo de Kyoto que será levado à plenária da 16ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP16) hoje a noite ou essa madrugada, acaba de ser liberado. Filas quilométricas estão se formando em frente ao centro de documentação para ter acesso aos dois textos, sendo que o documento que resume as propostas de Cooperação de Longo Prazo ainda não foi liberado. A boa notícia é que as propostas contidas no novo texto do Protocolo de Kyoto se aproximam do que a ciência exige. O documento enumera especificamente uma série de cortes das emissões de gases de efeito estufa (GEE) de 25-40% até 2020, comparado com os níveis de 1990. Além disso, o texto faz uma referência clara ao “gigatonelada gap” (a diferença entre as promessas de redução das emissões dos gases de efeito estufa que estão sobre a mesa, e o que realmente é necessário ser reduzido para salvar o clima) de 2 bilhões de toneladas de CO2 que faltam entre a ambição se de manter o aumento da temperatura global em 2ºC e as promessas que as nações fizeram até hoje. “Além de reconhecer o ‘gigatonelada gap’, o texto incita os países a aumentar seus compromissos de mitigação. Atualmente, as promessas de redução dos países desenvolvidos estão entre 7-14% e para evitar mudanças climáticas perigosas precisamos alcançar 25-40% de cortes”, explica o diretor de políticas climáticas do Greenpeace Internacional, Wendel Trio. “Se esse texto for aprovado, nós avançamos muito mais do que pensávamos que seríamos capazes antes de vir para Cancún”, celebra. A questão agora é se o texto do Protocolo de Kyoto será aprovado na plenária final da COP16 (a que horas irá acontecer, ninguém sabe!). Os principais suspeitos de por todo o jogo a perder são Japão, Rússia e Canadá, que vêm afirmando categoricamente que não irão se comprometer com a segunda fase do Protocolo de Kyoto, que se iniciaria em 2013. Dever de casa petrolífero Uma semana antes do início da COP16, um grupo de empresas da Associação de Petróleo do Japão, entre elas a Shell (e Exxon) enviaram uma carta ao governo daquele país demandando que o Japão tomasse uma posição firme e não aceitasse de maneira alguma qualquer acordo em relação ao Protocolo de Kyoto. O governo japonês está fazendo direitinho seu dever de casa passado pelas empresas de petróleo e arriscando matar o Protocolo de Kyoto – o único documento que o mundo tem obrigando os países ricos a diminuírem suas emissões de GEE. Os países pobres e em desenvolvimento estão super nervosos no último dia da COP16, porque temem que, sem o Kyoto, as promessas que eles colocaram voluntariamente dentro da linha de negociação de Cooperação de Longo Prazo (em inglês, LCA), serão cobradas pelos países ricos. Ou seja, no final das contas, serão os países pobres e em desenvolvimento os responsáveis por combater as mudanças climáticas perigosas.
Leído 1379 veces Modificado por última vez el Miércoles, 11 Febrero 2015 17:37
Guy Edwards

Guy Edwards is a Research Fellow at the Center for Environmental Studies, Brown University, where he manages a research project on the politics of climate change in Latin America. Along with co-author, Professor Timmons Roberts, he is currently writing a book on Latin American leadership on climate change for MIT Press. He has also written various academic papers, policy briefs and op-eds for a number of different publications. As co-founder of Intercambio Climático and formerly co-editor of the website, Guy has worked closely with the Latin American Platform on Climate and the Latin American office of the Climate and Development Knowledge Network. He has also worked for the Overseas Development Institute, the consultancy River Path Associates and as the resident manager of the Huaorani Ecolodge in the Ecuadorian Amazon.

Web: twitter.com/guyedwards

Información

PCL

© 2010 Plataforma Climatica Lationamericana

Una iniciativa sin precedentes que busca construir respuestas desde América Latina al problema global del cambio climático

Disclaimer

Contacto PCL

Fundación Futuro Latinoamericano
Secretaría Ejecutiva

Plataforma Climática Latinoamericana
+593-2-223-6351
daniela.contreras@ffla.net

Dirección:
Guipuzcoa E16-02 y Av. La Coruña

Quito - Ecuador

En alianza con

FFLA    Fundación Futuro Latinoamericano Secretaría Ejecutiva de la PCL
     
AVINA    Con apoyo de Fundación AVINA